quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

Carta pra um desamor...

Pois é. Estamos aqui de novo, no mesmo lugar. Os papéis se inverteram mas, mesmo assim estamos aqui. E não tem dessa de não ter certo e errado na história, porque tem sim!

O fato de eu não ter te levado a sério não te isenta do fato de que você errou e vice versa. Eu errei por um motivo e você errou por outro. E nem por isso eu vou virar pra você e falar que eu não quero mais pensar no passado e viver daqui pra frente, porque... pera aí! Eu tenho todo direito de ficar zangada, de ter ataques de nervos e não gostar das pessoas com quem você se relaciona por insegurança!

Você teve também esse momento e eu juro que, por mais que não pareça, eu tentei respeitar ao máximo o seu momento. Quantas e quantas vezes eu quis que tudo não tivesse passado de um sonho pra que a gente pudesse acordar e depois de tudo falar... vamos viver juntos daqui pra frente. Mas não foi isso que aconteceu.

Eu acho que eu sou uma pessoa totalmente estranha pra minha época e definitivamente eu nasci na época errada. Independente de ter feito o que eu fiz ou pelo fato de eu também não achar estranho me relacionar com mulheres. Mas eu tenho sérias dúvidas de ter nascido na época certa.

Eu ainda acredito que relacionamento é doação. É abrir mão de uma vida singular pra se pensar como dois. Não existe eu e você. Existe um nós e eu vejo muito a necessidade de ser feliz agora e que eu não preciso ser perfeita pra agradar outra pessoa. Mas, poxa! Onde que fica o significado de doação no relacionamento que a gente ta tentando viver?

Você quer que eu engula a seco todas as pessoas que eu não gosto que estão ao seu redor e eu vivo podando as minhas amizades por qualquer que seja o motivo de você não gostar deles. Ok, tem algumas pessoas que passam do limite e não conseguem ver uma pessoa feliz que quer logo infernizar. Nessas eu concordo com você que foram tarde... Mas e as outras? E aquelas pessoas que conversavam comigo e me aconselhavam a não mergulhar nisso de cabeça porque sabiam que eu sempre me doo demais e sempre me ferro por ter nascido junto de pessoas que não sabem fazer isso? O que elas te fizeram? Você não gosta delas por isso? É isso? Você quer que eu continue sendo assim e que não receba a mesma coisa em troca?

Pois bem. Eu acho que eu tenho que ter opinião nisso tudo e eu to farta de ler e reler histórias de amor e me imaginar dentro dela. Eu posso não ser a pessoa mais certa do mundo, mas eu acho que eu tenho que falar isso tudo senão eu não sei mais nem quem será eu amanhã.

Eu não estou mais disposta a esperar você curar todas as suas feridas pra ter o tão esperado felizes para sempre. Todo mundo sabe que essa desculpa é a sua armadura pra não se entregar a relacionamento nenhum. Eu nem Sei mais porque eu te dou ouvidos, sendo que eu também tenho feridas, eu tenho mágoas, traumas e... sinceramente... to cansada de viver relacionamentos pelas metades.

Se você quer mesmo que eu fique e que sejamos felizes... quebre seus muros. Eu não vou mais perder o meu tempo escalando e escalando algo que, a cada dia que passa, está mais alto e mais difícil de subir. Se você queria que eu perdesse todo o encantamento que eu tinha por relacionamentos, você conseguiu. Estou jogando a toalha. Não porque eu não acredite mais no amor. Mas porque eu já não sei se é esse o amor que existe em mim. Ou se eu apenas aprendi a viver no mundo em que você vive. Ou se eu finalmente consegui entender o motivo das pessoas da minha época serem tão desligados com essa questão de doação. Só não quero mais me prender em uma pessoa rasa. Quero me entregar a uma pessoa que possa fazer por mim tudo aquilo que eu faria por essa pessoa.

Acho que era só isso que eu tinha pra te falar. Obrigada por me ouvir, ou por ler até o final. Acho que também foi a ultima vez que eu tento fazer você entender tudo o que eu tinha pra falar. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário