terça-feira, 11 de novembro de 2014

Releitura: Alergico


O barulho dos carros tem me machucado... Desde que perdi o oxigênio e a minha vontade. Quanto mais o tempo passa... Eu vejo você indo e eu to ficando aqui. Em todas as noites que se passaram desde que se foi, só consigo pensar que seu coração é alérgico a mim. Mesmo que a mim ainda exista alguma coisa... Me sinto em um inverno eterno e acho que não quero sair daqui. 

Eu queria te dizer que não estarei mais aqui pra curar sua solidão, nem estarei aqui pra ouvir suas histórias sem pé nem cabeça no final do dia. Se você tem tanto medo de sentir, se você não consegue mais sonhar... Perdemos toda a cor e alegria... Nessa sua alergia ao amor. 

Enquanto me reconstruo, vou caminhando por aí, procurando apenas por um território neutro. Onde eu não escute mais sua voz, onde eu aprenda a te esquecer... Onde eu não morra e não viva tão fora do lugar. Mas não vou cuidar dos seus passos, não posso te defender de você mesmo! 



Nenhum comentário:

Postar um comentário